Tecnologia

Desenvolvimento de Produto

Veja também:

Selecione aqui

Inovação e melhorias técnicas representam 60% do faturamento

Com forte vocação inovadora, a Suspensys conta com profissionais altamente especializados, que atuam no desenvolvimento de novos produtos, fazendo uso de ferramentas avançadas para a criação de peças, testes e simulações. O indicador que mede a inovação produzida pela a empresa está acima dos 60%, nos últimos anos, percentual este que corresponde ao faturamento oriundo dos produtos novos ou significativamente melhorados. Em média, a engenharia trabalha com 80 projetos simultâneos, em diferentes estágios de prioridade.

Para oferecer ao mercado produtos mais leves, mais duráveis e que permitam maior capacidade de carga, a Suspensys consolida importantes investimentos, como o treinamento e especializações constantes da equipe de engenharia, inclusive com intercâmbio de profissionais do Brasil com as unidades da sócia Meritor nos Estados Unidos, Inglaterra e Índia, onde estão localizados os mais avançados centros de pesquisa e testes de suspensões.

A empresa trabalha em sinergia com a sócia americana, fazendo uso de consagrados procedimentos para criação e testes, como recursos computacionais de última geração para todas as etapas de desenvolvimento e, ainda, desenvolve softwares próprios. São três engenharias que atuam simultâneas: de Caminhões e Ônibus, de Implementos e de Clientes, trazendo novidades constantes e surpreendentes, totalmente adaptadas à realidade da legislação e das estradas brasileiras e de outros países onde os seus produtos são comercializados.

Ferramentas Virtuais

Entre os diferenciais da engenharia da Suspensys está a sua capacidade de gerenciar importantes ferramentas virtuais no desenvolvimento de produtos, garantindo economia de tempo e de dinheiro. Nas fases de projeto e simulações, utiliza os softwares avançados, como para criação, o ProEngineer; para simulações dinâmicas, ADAMS, TRUCK SIM, SVT- Suspension Virtual Truck; para análises estruturais, NASTRAN/PARTRAN da MSC e Abaqus; para avaliação de vida útil, FATIGUE; e para análise de topologia de produtos, MSC Nastran.

Conforto para os usuários

O pleno domínio desta tecnologia torna a Suspensys capaz de desenvolver novos conceitos e produtos, antecipando o que acontecerá com o veículo em campo, em diferentes tipos de estradas, mesmo antes dos testes com protótipos. Os dados colhidos pela engenharia partem do comportamento do produto em estudo e quais as sensações causadas ao motorista. É possível, por exemplo, identificar quanto tempo o motorista suporta dirigir em estrada de chão, tendo uma análise dos impactos dos movimentos nos órgãos humanos. Tal refinamento de informações é de fundamental importância, uma vez que trabalhar com suspensões implica em trazer conforto ao usuário e carga, com uma de alto desempenho com menor peso, e que apresente excelente relação custo x benefício.

Produtos patenteados

A tecnologia utilizada pela engenharia também permite identificar novos materiais e obter maior flexibilidade no estudo da geometria das peças, atingindo a maior leveza possível, garantindo a segurança e a durabilidade.

A busca constante de novidades torna o produto Suspensys diferente e um dos critérios para evitar a cópia é o registro de patentes no Brasil e no mundo. São mais de 40 patentes de suspensões e componentes solicitadas no Brasil, sendo que dez já foram conferidas, e outras tantas foram requeridas na África do Sul, Alemanha, Argentina, Chile, Estados Unidos, Holanda, México e Turquia.

Profissionais de engenharia

Por ser ousada, a engenharia da Suspensys mostra que tem condições de atender o cliente na sua necessidade, tendo na linha de frente um corpo técnico que pensa e desenvolve soluções inovadoras ou melhorias técnicas, além das expectativas do cliente. Hoje, o corpo técnico é constituído por 60% de profissionais especializados em Engenharia Automotiva, com ênfase em suspensões comerciais. A meta, no entanto, é atingir em pouco tempo uma média acima de 80%, a partir de investimentos que a empresa faz em cursos.

Um exemplo disso é a presença, a cada dois anos, do professor emérito em pesquisa na Universidade de Michigan (EUA), Thomas Gillespie, em Caxias do Sul, para ministrar cursos exclusivos para a Engenharia da Suspensys e das Empresas Randon. Ele é um dos mais renomados especialistas do setor e autor do livro Fundamentals of Vehicle Dynamics, que já vendeu mais de 40 mil cópias e está entre as mais respeitadas publicações científicas do segmento automotivo. Com Gillespie, os profissionais da Suspensys têm a oportunidade de aprofundar a correlação entre a teoria, a simulação virtual e experimentos práticos.

Soldagem robotizada

Nos setores de solda, a Suspensys dispõe de robôs de última geração, de procedência americana e japonesa. Desde que passaram a integrar o chão de fábrica, a empresa ampliou a sua capacidade de reprodução dos processos de soldagem, em comparação com outros métodos tradicionais. Outro ganho significativo foi o aumento da precisão.

Em testes de campo, por exemplo, ficou comprovado que um produto que apresenta elevado grau de complexidade na soldagem, ao ser soldado em processos robotizados, tem a sua durabilidade ampliada.

A soldagem com robôs apresenta outras vantagens como maior velocidade, maior robustez e flexibilidade, o que faz o seu uso um grande diferencial competitivo.

A solda robotizada pode ser aplicada em peças simples ou da mais alta complexidade, de grandes perímetros, em situações em que a energia de soldagem aplicada é muito alta ou demanda posições ergonômicas complexas (o que compromete a ação humana), em altos volumes de produção.

Para cada nova aplicação são realizados testes de campo, de laboratório, de análise macrográfica e micrográfica da solda, a partir do desenvolvimento de parâmetros químicos e físicos específicos.

Todo o processo atende as normas AWS D 1.1, ISOs e normas específicas de clientes.

Campo de Provas

O Campo de Provas Empresas Randon oferece respostas rápidas às demandas de desenvolvimento e lançamento de produtos da indústria automobilística. Atendendo a todas as empresas do conglomerado, a estrutura está localizada numa área de 87 hectares, em Farroupilha, RS, e conta com 18 diferentes tipos de pistas para testes, totalizando 15 quilômetros.

Assista ao
Vídeo do
Campo de Provas

O empreendimento comporta, ainda, prédio de 2000m², que abriga a garagem para instrumentação e preparação de veículos, e um laboratório para testes estruturais, que conta com uma base sísmica de 94 m² e sete atuadores servo-hidráulicos, que variam de 5 a 16 toneladas.

As pistas permitem testar a durabilidade dos veículos leves, pesados, implementos e seus componentes, como os materiais de fricção, os sistemas de freios, de acoplamento e de suspensões mecânicas e pneumáticas, aplicados em caminhões, reboques, e semirreboques, além de veículos especiais, simulando as condições reais de estradas e de cargas. São pistas de alta e baixa velocidade, off-road, medição de ruído, medição do coeficiente de atrito, pista circular, rampas, além das especiais: cobblestones (pedras de rio), Belgian blocks (paralelepípedos), body twist, chuck holes e pot holes (buracos), washboard (costeletas) e slalom test.

O Campo de Provas oferece confiabilidade na realização dos testes, mais segurança e padronização e avaliações em pistas especiais, atendendo às exigências das legislações brasileira e internacionais.

  • 1- Estrada de chão
  • 2- Rampas (asfalto e chão)
  • 3- Ruído de passagem
  • 4- Alta velocidade
  • 5- Pista circular
  • 6- Pista de slalom
  • 7- Pedras de rio
  • 8- Pista de paralelepípedos
  • 9- Pista de buracos
  • 10- Costeletas
  • 11- Body twist
  • 12- Lombada invertida
  • 13- Laboratório
  • 14- Mirante
  • 15- Viveiro de mudas

Laboratórios

Na etapa de testes de simulação dinâmica e fadiga em laboratórios são utilizados recursos próprios da engenharia experimental, que estão em constante aprimoramento, além de contar com laboratórios externos, tanto no Brasil como no exterior. São realizados testes em equipamentos de última geração, utilizando-se dinamômetros e bancadas específicas para os desenvolvimentos da Suspensys.

A Suspensys tem laboratórios que simulam o comportamento das suspensões nas mesmas condições de uso em caminhão, sofrendo todos os esforços de aplicação, que são medidos e controlados.

Os laboratórios estão equipados com o que há de mais moderno em termos de simulação dinâmica, como a base sísmica, por exemplo, que permite a montagem de um implemento rodoviário sobre a mesma, para a realização dos testes.

Conta, ainda com laboratórios nos Estados Unidos, Inglaterra e Índia, para onde são enviadas suspensões e componentes para testes, com regularidade.

SPS

O objetivo principal da implantação do SPS é o refinamento da produção de forma a atingir a excelência operacional. Para isso, a empresa está trabalhando na implantação do sistema em oito circuitos inter-relacionados: Quantidades, Atendimento, Lead Time, Flexibilidade, Qualidade, Inovação Industrial, Custos industriais e Segurança. Os princípios que regem o SPS são:

  • Pessoas inspiradas trabalhando com felicidade;
  • Produção puxada;
  • Resposta rápida;
  • Produção com qualidade;
  • Cliente externo em primeiro lugar;
  • Satisfação do cliente interno;
  • Soluções simples;
  • Correto a partir de mim;
  • Padronização;
  • Melhoria Contínua;
  • Redução contínua de desperdícios.

PDP

No desenvolvimento de produtos, a Suspensys utiliza o PDP (Processo de Desenvolvimento do Produto), que integra todas as áreas da empresa, criando um fluxo único de criação de produto. As inovações e melhoramentos técnicos surgem da gestão do portfólio de produto, que mapeia o mercado, numa ação conjunta entre a engenharia e a área comercial, de forma a identificar as oportunidades de produtos e negócios.

O primeiro passo é criar o conceito e submetê-lo a uma avaliação técnica e de viabilidade comercial. Só então inicia o desenvolvimento nas fases de modelamento do produto, realização de testes dinâmicos e virtuais, fabricação de protótipos, realização de testes físicos em laboratórios específicos. Após aprovado, o produto é submetido a testes de rodagem em veículo. A última etapa é a preparação da manufatura.

O PDP foi concebido para atender o ciclo de vida de um produto (PLM). A primeira fase é a Engenharia Avançada, que atua na concepção do produto a partir de uma demanda de mercado. Antes de passar para a fase seguinte, todas as áreas da empresa avaliam a viabilidade, de forma a ratificar que a fábrica está pronta para a produção do novo produto. A fase seguinte é a Engenharia de Aplicação, que dimensiona e detalha, além de homologar o produto. A última etapa do PDP é a Engenharia do Cliente, que acompanha o produto no cliente e retroalimenta a engenharia com as novas necessidades de inovações/desenvolvimentos.

tags

Tecnologia,desenvolvimento,produto,robôs,engenharia